Galegos da Serra

 

Aldeia periférica da sede de freguesia.
Localiza-se entre duas ribeiras de onde emergem as mais belas cascatas do concelho de Vila Real. Entre elas destacam-se a Cascata da Água D'Alte (14 m) e a Cascata do Saião (8 metros).

Esta queda de água localiza-se dentro da Área protegida do Parque Natural do Alvão. As quedas de água dão forma a um lago onde as águas reflectem a transparência dos verdes circundantes.

Rica em tradições, entre as quais se destacam o "beijar a Boneca" durante o Carnaval, em que as gentes da aldeia correm e pulam para dar a beijar uma boneca de pano e palha em sinal de provocação ao sexo oposto.

Existem ainda os cânticos entoados durante a Quaresma por pessoas de fé da aldeia, na parte mais alta do casario, os denominados "Cantares de Alerta", para relembrar aos habitantes que devem rezar e jejuar.

 

 

São ainda tradições desta aldeia as Travessuras de São João em Junho, em que os rapazes novos da aldeia roubam durante a noite os vasos e carros de bois e os atravessam nos caminhos, formando arranjos divertidos. Galegos é um topónimo de colonização antiga e o seu orago é Santa Marinha (mártir de Orense).

As festas da aldeia realizam-se todos os anos pela semana que antecede o dia 18 de Julho, dia dedicado à padroeira. Os seus habitantes vivem maioritariamente da exploração agrícola e pastorícia.

Os jovens saem da aldeia para procurar emprego na cidade. Há muito tempo atrás as gentes desta aldeia viviam da exploração mineira e florestal.

Entre as suas peças de artesanato mais conhecidas estão as mantas e passadeiras de farrapos, coloridas e tecidas em teares manuais.